quinta-feira, 8 de abril de 2021

Entre os Rios

A queda
Quando a centenária Ponte Hintze Ribeiro, que ligava o concelho aveirense de Castelo de Paiva à localidade de Entre-os-Rios, já em Penafiel, caiu, Portugal acordou para si mesmo. Num interior demasiado próximo para ser profundo, 59 pessoas morriam numa infraestrutura degradada, onde a incúria e o esquecimento permitiram que colapsasse.

Era só mais uma tragédia num território habituado a abrir noticiários apenas quando as suas gentes sofrem — seja por catástrofes naturais, fruto de decisões económicas ou acidentes.

Começando no final do século XX com o encerramento do complexo mineiro do Pejão, e terminando nas ruínas das fábricas que arderam já no verão do ano passado, cruzamos o tempo para encontrar o mesmo silêncio que havia neste lugar nos instantes que antecederam a queda da ponte — e trouxeram com eles o barulho das luzes e das promessas.

Duas décadas depois, falta ainda cumprir as ligações para fora do concelho: ligando o IC35 (para Penafiel) e concluindo a variante à Nacional 222 (para Santa Maria da Feira).

A nova ponte


16 comentários:

  1. Nesta queda a culpa não morreu solteira!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois não. O então Ministro, o que ontem nos deixou, viria a pedir a demissão, na sequência da queda da ponte.
      Abraço

      Eliminar
  2. Infelizmente foi preciso morrerem 59 pessoas para que, ao lado - já estive lá - se construísse uma nova ponte. Enfim...
    .
    Abraço poético.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A vida é o que tem que ser. Naquele caso, uma tragédia para muitas famílias.
      Abraço

      Eliminar
  3. Triste lembrança.

    Tem casa nova, sô António, e que bem se apresenta aos convivas :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A casa é nova, sim. Os visitantes merecem o melhor.
      Bom dia, dona no.

      Eliminar
  4. Lembro-me bastante deste dia...do sofrimento das pessoas. Das familias que ainda hoje sofrem... :(
    -
    A vida tem sonhos que vão partir ...
    -
    Beijos e uma excelente tarde!

    ResponderEliminar
  5. Recordo-me perfeitamente foi um grande tragédia.

    ResponderEliminar
  6. Jorge Coelho merecia esta homenagem.
    Palavras para quê?
    Começou a carreira política em Macau.
    Abraço, bfds

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta publicação foi feita a pensar nele. Todos sabemos porquê.
      Bom fim de semana, um abraço.

      Eliminar
  7. Bom dia
    Nunca mais vou esquecer esse dia pois o meu pai tinha falecido antes um dia e só soube no dia a seguir pois por nojo não liguei a radio nem a TV.
    Em relação á variante 222 esta realmente parada á anos , e não vejo maneira de recomeçar , não se sabe bem o motivo mas que faz falta ao concelho não tenho duvidas .
    Digo isto porque sou de Santa Maria da Feira e quando me desloco para Castelo de Paiva , tenho ou todos temos mais dificuldade em fazer esse trajeto .

    JR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esperemos que o que falta fazer seja feito. O que falta? Vontade!
      Vinte anos é muito tempo para indecisões.
      Cumprimentos

      Eliminar
  8. Há 20 anos ainda havia uma dose de honestidade/credibilidade...na política e Jorge Coelho demitiu-se. A partir daí é o que sempre se soube e para mim há dois senhores que há muito deveriam ter vergonha na cara mas têm cola nas poltronas.

    Enfim!

    Beijos e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta publicação teve duas intenções: homenagear a coragem do então Ministro Jorge Coelho, de uma forma incomum e, claro, deixar o alerta para a obra incompleta.

      Beijos, bom dia de sexta.

      Eliminar