quarta-feira, 5 de maio de 2021

Elas estão de volta

 A Frente Comum anunciou uma greve da função pública para dia 20 de Maio em defesa do aumento dos salários e da revogação do sistema de avaliação (SIADAP).

Em conferência de imprensa, o coordenador da Frente Comum, Sebastião Santana, disse que esta "não foi uma decisão tomada de ânimo leve", antes resulta de um longo período de falta de resposta aos problemas".

Além de uma greve de 24 horas, o dia de luta nacional ficará também marcado por uma concentração de trabalhadores em frente ao Conselho de Ministros, em Lisboa.

O pré-aviso de greve não abrange o setor da saúde devido ao contexto pandémico, mas espera-se que os trabalhadores possam participar em ações neste dia.

Desde logo, estranho o facto de uma greve estar a ser agendada para uma 5ª feira, habituado que estava a vê-las acontecer um dia depois, mesmo a jeito de um fim de semana prolongado, para muitos, e de horas extraordinárias pelo trabalho não efectuado no dia da greve.

Admiti tratar-se de um lapso na notícia. Confirmei e não,  não há lapso algum. A greve acontecerá mesmo a uma 5ª feira.

Perante esta novidade, resta-me pensar que o fim de semana possa ser ainda mais longo. É que haverá sempre a possibilidade de recorrer a uma ‘ponte’ (6ª feira). Certo?

Diz o pré aviso que “não abrange o setor da saúde devido ao contexto pandémico, mas espera-se que os trabalhadores possam participar em ações nesse dia”.

Como, se o contexto pandémico preenche o tempo total, dizem, de quem trabalha na área da saúde? Sim, pode sempre admitir-se a possibilidade de participarem fora das horas de serviço mas, se a memória não me falha, serão os mesmos trabalhadores que se queixavam de que muitas horas seguidas criavam dificuldades de resistência. Se agora, depois de um turno de trabalho, se disponibilizam para ações que não serão, naturalmente, deitados ou refastelados num qualquer sofá virado para uma televisão por perto, regozijo-me com a recuperação física e psicológica aparentemente registada.

 

E pronto, é tudo por hoje.

 


16 comentários:

  1. "E pronto" disseste tudo o que penso sobre estas greves e fico por aqui.

    Beijos

    ResponderEliminar
  2. Oxalá essa greve seja feita com a máxima segurança entre os participantes. Uso de máscara, distanciamento social. Será que o vão conseguir fazer? Duvido...
    .
    Cumprimentos poéticos
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem que ser, a menos que o desleixo marque presença.
      Cumprimentos

      Eliminar
  3. Enfim, parece que, pelo menos, alguma normalidade voltou....

    Bom Dia Mundial da Língua Portuguesa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não estamos em tempo de greves, apesar das melhorias registadas.
      Boa tarde de quarta, São.

      Eliminar
    2. Claro que não, mas parece que existem pessoas que não entendem e por isso eu ironizei :)

      Eliminar
  4. Boa tarde
    As greves são um direito do trabalhador. A função pública são os que mais a fazem. Porquê ? Nunca soube !

    JR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, são, plasmadas na Constituição Portuguesa. Sucede que foram vulgarizadas e, por isso, cada vez com menos credibilidade.
      A FP deverá ter mais direitos. Ou pelo menos pensar que tem.
      Cumprimentos

      Eliminar
  5. Isto é de bradar aos céus!! Enquanto estivemos todos "presos" em casa, almejava-se uma abertura para voltar ao trabalho que dignifica e faz movimentar a economia e o consumo. Agora que tudo está, lentamente, a voltar ao normal, já estão mexendo os cordelinhos para que as greves voltem e acabem com o resto. E logo o pessoal do sector público...
    Arre, porra! Quem entende este país, esta gente?!
    E, bufando, me vou...

    Beijinhos, António.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, realmente, a melhor altura para greves 👀
      Esgotei a paciência para alarvidades deste género.
      Beijinhos, Janita.

      Eliminar
  6. Aumento de salários... numa fase destas?
    Se no tempo do Durão, estávamos de tanga... agora em tempo de pandemia, estamos de quê? É que nem para fio dental, há orçamento... e tomáramos nós que vá chegando para encomendar vacinas... pois os ingleses, têm tanta fé nelas, que já vão numa terceira dose para o Outono...
    Beijinhos! Continuação de uma boa semana!
    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, aumento de salários, a contar com a 'bazuca'. Esta gente não sabe o que faz. Ou sabe, o que torna a coisa muito mais grave.
      Bom resto de semana, beijinhos.

      Eliminar
  7. Nesta altura do campeonato faz todo o sentido.
    Não há mesmo traseiro que aguente!
    Abraço

    ResponderEliminar