sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Ainda Greta, a ecologista.

Salvem o planeta?
Greta Thunberg com a mãe em casa. Aquela cadeira na foto por detrás delas é a 'eames lounge chair', ícone do design moderno. Feita com pele de animal, custa mais de 8 mil euros.
Aquela em que estão sentadas custa mais de 9.400 euros.
Contem-me histórias e enganem-me que eu gosto.

Fonte: Revista Sábado

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Marcelo e Greta


O Presidente da República explicou que não esteve com Greta Thunberg porque não queria que o acusassem de aproveitamento político. Qual aproveitamento político? Não se percebe bem, até porque a Suécia é uma monarquia e Marcelo não iria ganhar muitos votos por aquelas bandas.
A verdade é que a presença de Greta Thunberg não é bem recebida por muita gente e por grandes interesses económicos do nosso país. Neste caso era mais a causa que ganhava com Marcelo, do que Marcelo a ganhar com mais uma selfie, desta vez ao lado de uma jovem que é tão atacada por certos meios.
Bem, esperemos que Marcelo seja coerente e isso significa que só o voltaremos a ver na mensagem de Natal e, depois disso, no dia 25 de Abril.


quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Lugares


O Castelo dos Mouros é uma das atracções mais visitadas, juntamente com o Palácio da Pena, da bela vila de Sintra. É cercado por uma verdejante floresta e respectivo parque, sendo fácil ver quem faça muitas actividades diferentes, desde caminhadas a percursos de orientação, passando por desportos de lazer mais radicais. Visite as fantásticas muralhas de pedra e explore as ruínas desta atracção portuguesa única, com vistas fantásticas.
Os mouros do norte da África construíram este castelo no século X como um forte militar. A sua localização no topo da serra, com vista sobre o rio Tejo, tornou-o num local estratégico ideal para defender Sintra e toda a zona de Lisboa, tendo-se tornado um dos mais importantes de Portugal.
Ao longo do tempo este edifício sofreu profundas remodelações, sendo que o terramoto que atingiu Lisboa no século XVIII praticamente deixou o castelo em ruínas. Foi o rei D. Fernando II quem restaurou a maior parte do castelo no século XIX como uma ruína antiga. Para o rei era motivo de satisfação ver o enquadramento do castelo no Parque da Pena, bem como o seu posicionamento relativo em relação ao Palácio.
Por estes motivos, e face à sua imponência, o Castelo foi declarado Monumento Nacional, fazendo parte da Paisagem Cultural de Sintra, que se tornou um Património Mundial da UNESCO em 1995.
Tem sido um local de investigação arqueológica, sendo de destacar dados importantes tanto a nível do islamismo como do cristianismo. Existe inclusivamente um Centro Histórico de Interpretação, que exibe várias exposições dos achados encontrados em torno das escavações arqueológicas do castelo.
Curiosamente, no castelo não existem interiores ou salas palacianas para visitar. Os vários imponentes Palácios em Sintra servem perfeitamente esse objectivo, destacando-se desde logo o seu “vizinho” Palácio da Pena.
No entanto, a fortificação constituída por dois grandes anéis de muralhas que se enrolam ao longo das rochas e falésias de granito no topo da serra é extraordinariamente imponente e bela. As camadas de pedra com milhares de anos edificadas no topo de uma montanha em terrenos acidentados, sem recurso a equipamentos tecnológicos como os existentes actualmente são dignas de enorme admiração.
É igualmente interessante imaginar toda a actividade durante a história do castelo. No entanto, é fundamental não descurar a segurança, pois a maioria das paredes do castelo não possui protecções.
Os degraus são igualmente irregulares e com muitos declives íngremes. De qualquer modo, é um local digno do imaginário dos mais criativos autores. Contudo, não apenas as muralhas do castelo merecem destaque, pois as vistas panorâmicas revelam uma paisagem deslumbrante.
Daqui observam-se florestas, parques e a incrível arquitectura e telhados da cidade de Sintra. São perfeitamente identificáveis várias perspectivas simplesmente arrebatadoras. O Castelo dos Mouros é uma atracção única na vila de Sintra. A sua originalidade em termos históricos e arquitectónicos no meio de tantos palácios e palacetes lembram aos visitantes que em Sintra existe bem mais do que uma encantadora vila com parques e casas reais.


terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Frases


Um sonhador é aquele que pode encontrar o seu caminho ao luar e ver o amanhecer antes do resto do mundo.
(Oscar Wilder)


segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

EPAL e Delta oferecem copos de água, café e chá em troca de um sorriso.


A iniciativa junta as duas empresas e tem como objectivo promover a sustentabilidade ambiental.
EPAL e a Delta juntaram-se numa iniciativa que vai oferecer copos de água, chá e café feitos a partir de água da torneira da capital portuguesa. O projecto tem como objectivo promover a sustentabilidade ambiental.
"A EPAL e a Delta são duas marcas fortes, portuguesas, próximas dos seus clientes e cujo ADN aposta desde sempre na qualidade, inovação e sustentabilidade ambiental e social. Até 31 de Janeiro queremos oferecer a 20 mil pessoas café e chá feito com água da torneira de excelente qualidade, o produto alimentar mais controlado em Portugal, para promover a melhor opção ambiental", refere Marcos Sá, Director de Comunicação e Educação Ambiental da EPAL.
A 'moeda de troca' é um sorriso, de acordo com o mesmo comunicado. O Pátio da Água e o Water, Tea & Coffee Spot situam-se na Av. da Liberdade, no mesmo local onde a EPAL ofereceu, este verão, 100 mil copos de água a lisboetas e turistas.
As portas abriram hoje e assim vão estar até ao dia 31 de Janeiro, de segunda a sexta, das 11h30 às 19h00.


Fontes: 'sites' da EPAL e da Delta